Īḍā (título provisório)

Filipe Baptista

Seis corpos encontram-se no interior de uma sala.  Os seus motivos, os seus desejos e as suas intenções, só eles sabem. Este espaço é uma paisagem que acusa ampliar o tecido físico e que detém uma vontade própria.
Esta criação manifesta um olhar sobre o que representa acedermos a um “espaço sagrado”, exterior e/ou interior a nós, e sobre persistentes ciclos de destruição e criação, sobre encontro, sobre rituais sobre transformação e, portanto, sobre morrer e renascer.

 

Filipe Baptista