MINA – song of myself

Carlota Lagido

MINA - song of myself, é uma tomada de posse. É a MINA numa versão a solo onde afirmo e perpetuo com o corpo, o ativismo feminista, conquistado durante o processo de pesquisa e criação da peça original. Como diz Shahd Wadi, MINA já não é só uma peça artística, é um coletivo. É isso que eu sou. Sou feita de um coletivo de mulheres, um coletivo de MINAS.  Sou feita também da minha ancestralidade. MINA-song of myself, é um solo que quer revelar a minha epigenética e pendura-se nos pés de milhares de outras mulheres (e homens). Pendura-se e balança. Sou milenar, sou uma multidão. Sou uma cicatriz, sou o meu riso, sou a minha dor, sou uma mulher, sou MINA, sou um fantasma, sou contradição, sou amor, sou luta, sou um fluxo da história. Sou uma multidão. Repito-me, insisto, resisto.
A premissa para a construção deste novo solo, parte da recoleção e ressignificação de algum material anteriormente explorado na peça MINA, por mim e pelas intérpretes e co-criadoras, onde se estabeleciam já relações fantasmáticas com as vidas e obras de muitas outras mulheres. No mesmo sentido pesquiso e exploro os meus fantasmas diretos. Procuro o lugar no tempo de onde vem a minha essência, de onde vem a minha pulsão. Procuro o espaço para a minha ontologia.


MINA- song of myself, é meu, mas é simultaneamente de outras. É um evento celebrativo, de coroação de todos os nomes próprios, todos os apelidos, todas as existências, mesmo as que não fizeram diretamente parte de mim. Tudo acontece no meu corpo, resistente e em contínuo movimento. É um solo dançante. Eu sou dança, eu sou física e química, eu sou biológica, eu sou psicológica, eu sou emoção. (etimologia- latin,  emovere- agitar, mudar de lugar) Eu sou feita de camadas, sou rizomática e sou sou construção.
sou a minha tetra avó, Rachel Levy Bentubo 1847–1927, Gibraltar
sou a minha trisavó, Aldegundes Levy Bentubo Wahnon, 1885-1963, Cabo-Verde
sou a minha avó, Maria da Conceição Wahnon Duarte Gueifão Ferreira, 1910-1971, Cabo Verde
sou a minha mãe, Maria Elizabeth Duarte Gueifão Ferreira do Canto Lagido, 1941, Lisboa
sou Carlota, 1965, Lisboa.


 

Conceção, interpretação:  Carlota Lagido
Vídeo – Carlota Lagido
Dispositivo de luz – Nuno Patinho
Figurino – Carlota Lagido
 
Produção: O Lugar do Meio/Carlota Lagido
Gestão- EIRA
Coprodução: Self-Curating - Produções Independentes / República Portuguesa - Cultura – Direção-Geral das Artes e Câmara Municipal de Lisboa – Cultura e Fundo de Emergência Social

Self-Curating é uma Bolsa de criação e auto-curadoria artística, inserido no projecto Self-Mistake, numa parceria entre ORG.I.A e Produções Independentes.

Agradecimentos eternos: Aurora Pinho, Elizabete Francisca, Francisca Manuel, Joana Castro, Joana Levi, Lula Pena, Mafalda Oliveira, Shahd Wadi, Thamiris Carvalho, Tita Maravilha, Xana Novais.
 

(MINA - song of myself, surge diretamente da minha casa - o Lugar do Meio em Alfafar, espaço de residências artísticas, espaço de trabalho e festas, espaço de agricultura, ecologia e comunidade, espaço de floresta e liberdade)  https://www.facebook.com/centrocriativo