Geography of Love

Bios

Diego Bagagal

Diego Bagagal (Belo Horizonte) é umx artista não binário, Lusx-Brasileirx que desde 2017 vive em Lisboa.

Inicia seu percurso artístico pela dança e pelo estudo das obras da artista plástica, também Belo Horizontina, Lygia Clark. Ao longo da sua formação, e inspiradx por Clark, foca-se no estudo das matérias do corpo e composição artística como “performance”, “teatro”, “interação/improvisação/composição imediata”, “meditação”, “composição cênica”, “gestalt do objeto” e “gestualidade”. Sua criação performática e audiovisual é centrada na presença e no corpo.
É mestrandx em “Crítica, Curadoria e Teorias da Arte” pela Faculdade de Belas Artes de Lisboa (FBAUL); pós-graduado em “Creating Theatre and Performance” pela London International School of Performing Arts (LISPA); formadx em atuação pelo Teatro Universitário da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e graduadx em “Comunicação Social” pelo Unicentro Newton Paiva.
Foi co-fundadorx do premiada plataforma interdisciplinar MADAME TEATRO, se debruçando nas questões queer, do gênero e sexualidade a partir de sua relação macropolítica (arquetípica) e micro-política (auto-biográfica). Suas criações questionam e atritam a relação entre “sexo e terror/ sexualidade e amor”. É performer e criadorx dos espetáculosperformances “Salomé” (2017); “Cleopatra” (2017); “Shakespeare: Livros para Sobreviver”
(2016/2015), “Em Louvor à Vergonha” (2013), “BATA-ME! (Popwitch)” (2013) e “Pop Love” (2010). Em sua trajetória já recebeu os Prêmios “Cena Minas”, “Cena Espetáculo”, “Cena Musica”, entre outros. Em 2011 foi considerado pela Revista Encontro | Edição Personalidades do Ano como revelação das artes performativas.
Estudou e trabalhou com diversos encenadorxs e grupos, entre eles, Mickaël de Oliveira, Susan Worsfold, Jurij Alschitz, Grzegorz Ziolkowski, Thomas Ostermeier e Grupo Galpão.
Em 2018 trabalhou como performer em “ORLANDO – New Opera Paradigm” (Suiça/França), vídeo instalação performativa com realização de Julie Beauvais e direção de fotografia de Horace Lundd, estreou no “Festival La Bâtie” (Suiça). Também atuou em “Perigo Feliz”, projeto da École des Maitres (Bélgica, França, Itália e Portugal) com encenação de Tiago Rodrigues, estreado em setembro de 2018 no “Short Theatre Festival”
(Roma).

Cartão postal recebido por Ricardo, do Peru, em 1976, com poesia de Federico Garcia Lorca

Foto DiegoBagagal

de Bruno Leão