CRIAÇÃO DO NADA

“O caracter chinês wu, indica a ausência de algo. O sentido de negar, de não fazer, na antiguidade, estava conotado com o ato de dançar.

 

CRIAÇÃO DO NADA é um programa que surge da urgência de criar um novo paradigma que reequilibre a produção artística.

Deparamo-nos com um contexto de impasse social e político, num cenário de chantagem de crescimento económico da vertigem consumista que nos torna reféns de estímulos imediatos e necessidades passageiras.

Convocamos artistas, instituições, investigadores e profissionais do conhecimento, independentemente da área em que atuam, ao questionamento desta aceleração e os seus impactos.

Pretendemos provocar contextos de pausa, movimentos provocadores que desafiem a “normalidade”; que testem e imaginem outras possibilidades de fazer e estar em sociedade de forma mais integralmente ecológica e sensível, por via do recurso ao pensamento crítico e à arte, tendo o corpo e a dança um papel fundamental neste movimento.

HAIKU de Joana Magalhães - foto de Vasco Ferreira.

HAIKU de Joana Magalhães - foto de Vasco Ferreira.